segunda-feira, junho 20

no more.


Cheguei a um ponto da minha vida, a um especie de estrada com dois caminhos, olhando para traz vi tudo o que passou, vi uma vida completa de rotinas, de deveres, de sacrificios.
Um desses caminhos era a continuação dessa vida, pensando nos outros primeiro que em mim, desistindo dos sonhos para não magoar-mos ninguem, não conserguindo os meus objectivos por ter medo de lutar, uma vida com um sorizo forçado na cara, uma vida em que luto por quem não merece e não penso em mim, uma vida que eu não quero...
O segundo estava vazio, como um novo capitolo que posso escrever, totalmente em branco. E isto que eu quero. Não quero tudo de novo, que começar de novo.
Quero ser egoista, não vou lutar, falar ou dar valor a quem não merece, os verdadeiros ficam comigo, pessoas falsas não obrigada! Não quero mais rotulos, quero viver, conseguir os meus objectivos mesmo que para isso tenho de passar por cima de alguns, não vou ter medo de lutar de falar o que sinto, de dizer o que penso. Não quero saber mais do que dizem nas minhas costas, de boatos mexericos. Se falam bem é porque gostam da pessoa que sou, se falam mal é muita inveja...
Quero chegar a casa as seis da manha e estar sem sono nenhum, quero dormir ate as quatro da tarde e acordar cheia de sono, quero apanhar um autocarroo com destino desconhecido, que sorrir verdadeiramente, quero ser feliz, quero os meus objectivos, basicamente quero viver o hoje sem me lembrar do ontem e como se não existisse amanha.





Sei que posso ser difícil, mas por favor não desistam de mim (;

sexta-feira, junho 3

fartei mesmo.


És simplesmente perfeito como pessoa, mas fartei da nossa “só amizade”. Não compreendo as tuas atitudes. Afinal és assim porque gostas de mim, ou só és para gozar com a minha cara?
Nem sei o que sinto por ti, acho que é como quando gostamos de uma pessoa só mesmo por ser ela, por sentirmos que é essa pessoa a pessoa certa. Tal como da 1ª vez que te vi, pode dizer-se que foi “amor a primeira vista”.
Não sei como NUNCA reparas que eu gosto de ti… Posso não te o dizer por palavras, mas acho que dava para reparar.
Sei que não fiz tudo certo que errei contigo, que devia ter arriscado e ter te dito o que sentia, talvez se o tivesse dito as coisas tinhas sido diferentes, mas não disse prontos.
Fartei dos teus sinais, num dia parece que gostas de mim, e és um querido comigo, e no outro és o mesmo mas para ela. As coisas não são assim, tu não podes andar a dedicar-me musicas e a dedicar-lhe golos a ela. Não quero isto para mim, quero uma certeza, ou eu ou ela.
Sinceramente as vezes preferia que assumisses que gostas dela, assim ao menos não mantinha mais esperanças patéticas, de um dia poder ter um “para sempre” contigo.
Achas mesmo que eu não te consigo esquecer? Vou, eu sei que vou, não totalmente, mas não vais ser o meu amor para sempre. Vou-me sempre lembrar de ti, dos nossos momentos, dos nossos sorrisos, basicamente da nossa amizade especial, foste o primeiro rapaz de quem eu gostei verdadeiramente, foi contigo que eu descobri o que é gostar de uma pessoa, o que é achar essa pessoa perfeita.
Caso não saibas, provavelmente nunca mais nos vamos ver, as nossas aulas vão acabar, temos até ao verão para aproveitar e depois tudo muda. Talvez um dia nos voltemos a encontrar e quem sabe o que pode acontecer no futuro… Mas por agora eu sei o que vai acontecer, simplesmente nada.
Vou sair da tua vida, e ela vai ficar. Não é difícil de perceber o que acontece depois…
Quero dizer-te que foste, és e serás muito especial para mim, isso nunca vou deixar de sentir, e por agora, 


adeus e até a um dia homem da minha vida.
jms